A MISSÃO, A CRIANÇA E A FAMÍLIA

29 de agosto de 2017     0

Vivemos dias em que missões, muitas das vezes, é compreendida como um segmento da igreja, podendo ser tema de culto ou de festas. Percebe-se que alguns cristãos não compreendem o chamado missionário universal e nossas crianças têm crescido neste ambiente, em um meio capitalista, onde cada um é valorizado pelo tem. No livro de Provérbios, o autor, Salomão nos orienta a ensinar a criança no caminho em que deve andar, para que dele ela não saia, mas permaneça (Pv 22.6).

Ensinar missões para crianças é tão emergente quanto ensinar a ler e a escrever, pois trata da nossa essência, e este ensino não deve se resumir a um departamento nem expor o missionário de campo como um super-herói, mas o alvo deve ser introduzir os conceitos missiológicos bíblicos visando a compreensão e a permanência deles.

A maioria das famílias comete um erro grave: terceirizam a educação dos seus filhos. Infelizmente a igreja tem reproduzido essa triste realidade, quanto ao ensino sobre missões, quando este não é ignorado por completo em toda agenda da igreja. Em qual caminho você quer que seus filhos permaneçam?

De acordo com definições encontradas em diversos dicionários, permanecer é “continuar sendo; prosseguir existindo; conservar-se, ficar”. Não se trata do futuro, é o hoje, é agora, para isso é preciso uma formação de mentalidade, é começar a aprofundar as raízes desde então para que a “árvore” consiga se sustentar. As crianças acabam sendo um reflexo de muitas atitudes de seus pais. Crianças veem, crianças fazem. Não adianta transferir essa função a outros, pai e mãe devem assumir a responsabilidade quanto ao amadurecimento teológico e prático de seus filhos.


Enquanto cristãos, precisamos ensinar constantemente sobre missões para nossos filhos, não somente ensinar, mas também incentivá-los a se envolver, pois elas também são parte no cumprimento da Grande Comissão. É o que elas praticam e vivenciam hoje que vai permanecer.


São simples atitudes que fazem da criança um missionário: se importar com o colega, respeitar o espaço do outro, falar de Jesus para seus amigos, separar uma oferta para ajudar missionários no campo, orar por eles e até mesmo compreender que existem crianças no campo com suas famílias que têm as mesmas necessidades que elas, que gostam de brincar, de correr, de comer doces e que precisam estudar. Nesse processo é fundamental que os pais inspirem suas crianças a também façam parte do avanço do Reino de Deus.

Entender que a Bíblia conta a história de Deus em busca do homem perdido, e levar a criança tomar conhecimento desta trajetória ao longo dos tempos sabendo que Ele conta conosco nesta jornada, é um privilégio que permeia, antes de tudo, o seio familiar.

Encorajo cada pai e cada mãe que não compreende a Bíblia como um livro missiológico a buscar mais conhecimento sobre a Missio Dei, pois Deus está em missão ansiando ser glorificado entre cada povo. Esta é a maneira mais eficaz de transformarmos pensamentos, de rompermos paradigmas e nos tornarmos, de fato, relevantes nesta geração.

Autor: Letícia Vidal Mota

Pedagoga, professora alfabetizadora, teóloga, coordenadora no Lagoinha Kids e voluntária na área de Mobilização Missionária pelo Perspectivas Brasil