Missiologia na Escola Bíblica

18 de maio de 2017     0

As crianças são alegres, espontâneas e podem sim fazer muito pela causa missionária, mas com o apoio de um adulto que as oriente com amor

Ensinar princípios bíblicos para as crianças é mais do que uma tarefa cristã, é uma ação estratégica para tornar o mundo em nossa volta um lugar melhor. Contudo, se a educação bíblica não for orientada por um enfoque missionário, teremos adultos que vão conseguir recitar versículos, mas sem qualquer senso prático de ação evangelística e missional. A boa notícia é que a solução pode ser divertida e de acordo com a linguagem de uma geração cada vez mais precoce e conectada.

Sabemos que o mal trabalha com pressa, alistando crianças para cumprir tarefas que elas são capazes de realizar. Líderes rebeldes, de comunidades carentes a países em conflito, reúnem meninos e meninas para a guerra dizendo: – “Se você consegue segurar uma arma, é um soldado”. Mas em contrapartida, nossos pequenos cristãos são negligenciados em nossas igrejas toda vez que agimos como se eles fossem incapazes de participar do “Ide” com os adultos.

Ora, se Jesus nos ensinou que deles é o Reino dos Céus, podemos concluir que as crianças só precisam ser ensinadas como usar a chave de um lugar que pertence a elas.

As crianças são alegres, espontâneas e podem sim fazer muito pela causa missionária, mas com o apoio de um adulto que as oriente com amor. Certa vez após o ensino da lição bíblica, passei uma tarefa para que as crianças tomassem a decisão sobre como elas mesmas iriam realizar a gravação de um vídeo evangelístico. Resultado: cinco minutos depois apartei duas brigas suadas e perdi a atenção dos alunos até o final da aula. Faltou direção da minha parte porque as crianças não sabiam como dividir os afazeres para trabalharem em equipe. Depois disso, aprendi que tarefa básica para se dirigir uma classe é o planejamento.

Uma aula com enfoque em missões, assim como qualquer outra, deve ser projetada para mudanças de atividades a todo instante. Tenha em mente que a mudança de atividades deve ser tão ágil quanto um vídeo que trocamos por outro na internet. É claro que todos os momentos devem estar entrelaçados na mensagem para que brincadeiras, desenhos, teatros, leituras e tudo mais leve nossos pequenos à reflexão e ao entendimento da vontade de Deus. Mas falar de missões em qualquer lição sempre será um desafio possível.

Quando ensinamos sobre as viagens missionárias de Paulo, podemos fazer uma “viagem” até a rua detrás da igreja para entregarmos desenhos coloridos como pequenas cartas do Apóstolo de Cristo. Ou então, quando o tema for sobre José do Egito, que tal incentivar que os alunos peçam a seus pais um quilo de alimento para doação aos mais necessitados, tal como foi feito à Família de Jacó? Pensar de forma missionária na Escola Bíblica é tão prático quanto manter um cofrinho de ofertas na sala de aula.

Devemos nos lembrar de que Jesus ensinava a partir do interesse do discípulo e de suas necessidades, e a necessidade da criança é brincar. Precisamos planejar o ensino de maneira divertida, lembrando que o coração missionário de Deus anseia que as pessoas tenham todas as necessidades supridas n’Ele.

Hoje, quando decidimos ser uma igreja missionária que inclui os pequeninos, podemos contemplar crianças e adultos vivendo conectados ao plano de Deus.

 

 

Autor: Rafael Lima

Escritor, cartunista, professor de Escola Bíblica e membro da Igreja Presbiteriana Viva, em Volta Redonda – RJ