Chamado de Deus para o Sertão

25 de novembro de 2017     0

“O chamado de Deus é pessoal, intransferível e incomparável. E nada que façamos se compara ao fato de servimos ao Senhor”. A frase citada pelo pastor e missionário Ronaldo Lidório na noite dessa sexta-feira, dia 24, durante o primeiro dia do “Todos os Povos Te Louvem” na Igreja Batista Metropolitana, em Salvador (BA), veio reforçar a necessidade de a Igreja Brasileira responder ao chamado de Deus junto ao Sertão, uma vez que 89% da população sertaneja não é cristã evangélica.

O pastor lembrou ainda a importância de pregarmos o Evangelho a todos e levantarmos a bandeira de Jesus e não a nossa. “O que faz um coração ser transformado ou uma tribo alcançada? É o poder de Deus através da pregação do Evangelho. Não existe obra missionária sem o Evangelho, que é Jesus. Portanto, conhecer o Evangelho é conhecer Jesus. Viver o Evangelho, é viver Jesus. Pregar o Evangelho, é pregar Jesus. E negar o Evangelho, é negar Jesus. Se Deus quiser, e assim espero, o Sertão deixará de receber missionários e será um celeiro de missionários para o mundo”, destaca Ronaldo.

Segundo o mobilizador do Grupo Povos e Línguas, Breno Vieitas, a ideia é fazer com que a Igreja Brasileira retribua aos sertanejos a contribuição que eles deram na construção do país. “Esse evento busca conscientizar os cristãos a transferirem parte das riquezas sociais, intelectuais, financeiras e espirituais para o Sertão”, disse.

Ainda, dentro da programação, o empresário voluntário da AMES (Agência Missionária para Evangelização do Sertão), Antônio Torres, explicou um pouco do trabalho desenvolvido junto às comunidades sertanejas e a proposta do TELA (Tecnologia, Empreendedorismo, Liderança e Ação).

“Atualmente são mais de 400 comunidades rurais atendidas pela AMES, bem como 200 famílias missionárias trabalhando no Sertão. Mas o desafio ainda é grande e, por isso, estamos provendo toda a infraestrutura para que as igrejas locais se engajem na evangelização do Sertão. Em janeiro, por exemplo, nas caravanas missionárias vamos levar 22 ônibus para um trabalho evangelístico. E os empresários, que são mordomos no Reino de Deus, são chamados a contribuir com esse projeto missionário. Pois, uma coisa é certa. A igreja que vai ao Sertão não é a mesma que volta”, ressalta Torres.

Entre um momento e outro, o músico Paulo César Baruk louvou ao Senhor com cânticos conhecidos do público como “Quanto Amor”, “Sobre a Graça”, “Ele Continua Sendo Bom”, “Senhor do Tempo”, entre outras. Ao final, o músico encerrou sua participação relembrando a música “Baião”, do grupo Rebanhão.

Segundo Dia – No sábado, dia 25, a programação é extensa. Pela manhã, a partir das 8h30min, acontece o treinamento do SIMI (Sistema de Implantação de Missões para Igreja) para pastores, missionários e líderes cristãos com Ronaldo Lidório. À tarde, a partir das 15h, estão marcadas as oficinas “Missões através do Esporte”; “Ensinando crianças e adolescentes nas escolas do Sertão”; “Realizando parcerias”; “Pequenos grupos nas universidades” e “Abuso sexual no Sertão”. E, à noite, a partir das 19h30min, louvor com os músicos Marcos Almeida e Marcela Taís, bem como palestra com Andréa Vargas e apresentação de projetos.

Autor: Redação Povos e Línguas

Conteúdo missionário de referência sobre o que acontece no Brasil e no mundo.