Vem e Vê!

19 de julho de 2017     1 comentário

Líderes, empresários e músicos realizam a primeira viagem do Projeto Avança Sertão

“Ele lhes disse: Vinde, e vede. Foram, e viram onde morava, e ficaram com ele aquele dia;”
(João 1:39)

No primeiro semestre de 2017, em uma iniciativa de mobilização conjunta, o Grupo Povos e Línguas (PVLs) lançou o Avança Sertão, uma aliança que visa unir pastores, agências missionárias, músicos e vocacionados para a evangelização do Sertão Nordestino.

O projeto consiste na realização de eventos para mobilizar e despertar a Igreja Brasileira para as necessidades espirituais e sociais do povo sertanejo. Assim, entre os alvos da iniciativa está a geração de 150 projetos missionários em 5 anos.

De acordo com o pastor Paulo Mazoni, um dos líderes do PVLs e pastor da Igreja Batista Central de Belo Horizonte (MG), “o Avança Sertão será o primeiro de muitos passos de uma nova maneira de fazer missões em unidade”.
Esse trabalho será realizado por meio da rede de cooperação entre Grupo Povos e Línguas, igrejas locais, músicos cristãos, organizações não governamentais e agências missionárias que já atuam no Sertão.
Como uma das etapas do cronograma do Projeto, no mês de junho, em parceria com a Agência Missionária para Evangelização do Sertão (AMES) e a JUVEP, parte da equipe de mobilizadores, músicos e líderes do Grupo visitaram regiões estratégicas no Sertão. “Fui convidada para trabalhar, mas principalmente para ver, compreender e passar adiante essa realidade, e espero de coração cumprir esta missão”, declarou Marcela Taís, uma das cantoras que visitou o Povoado de Belém e o município de Acauã.

Povoado de Belém
O povoado fica na zona rural do município de Tavares, localizado a 430 km da capital de João Pessoa, na Paraíba. O trabalho de plantação de uma igreja local é feito por 05 missionários da JUVEP (Radical Sertão) em parceria com a igreja local de Tavares – Igreja Ação Evangélica (ACEV). O trabalho na região é típico do sertão: Marcado por catolicismo fechado, onde crianças, jovens e adultos são proibidos de assistirem aos cultos ou de abrir a porta da casa para uma visita dos missionários. Ao todo são 160 famílias e 650 habitantes, a maioria são jovens sem emprego fixo. A escolaridade é um ponto crítico, pois 80% da população é semianalfabeta. O trabalho é concentrado no evangelismo e no estudo da Bíblia de casa em casa. Os obreiros também dão aulas de reforço e leitura.

Município de Acauã
Acauã é um município do estado do Piauí, fica a 468 km da capital Teresina e faz parte do Alto Médio Canindé, no semiárido do Sertão Nordestino, com um período de seca severa por 8 a 10 meses no ano. A cidade tem uma população urbana de 6 mil habitantes e mais 1.500 moradores espalhados em 40 povoados e uma taxa de escolaridade baixíssima, com quase 40% da população semianalfabeta (IBGE 2000). Local onde funciona grande parte dos projetos sociais da AMES em parceria com a Missão de Apoio a Igreja Sofredora (MAIS) no desenvolvimento comunitário, e com a Iris Piauí na plantação de igrejas. A base conta com 22 missionários integrados com esses dois segmentos.

Na área social, de geração de renda e desenvolvimento comunitário a AMES conta com a Fábrica dos Sonhos, que produz brinquedos de madeira para crianças, a Fábrica de Acordes, que produz violões; Espaço Vida e Dança com aulas de balé para crianças e ginástica para mulheres, além de uma Escola de Futebol e Alfabetização de Jovens e Adultos.

Na parte espiritual existem duas frentes: A Escola de Missões com 23 alunos de várias partes do Brasil e o Seminário Bíblico do Sertão, com 35 alunos que se formaram no final do mês de junho. A AMES é a responsável por todo suporte financeiro e infraestrutura dos projetos.

Além destes, há o Projeto Lucas de apoio à saúde e o Dorcas que oferece apoio as viúvas e órfãos, o de construção de banheiros, artesanatos e o Sertão digital. A igreja da região tem cerca de 100 membros e outros 150 nas igrejas dos povoados.

Os desafios

Em 1980 o número de cristãos evangélicos no Sertão não chegava a 2% da população, nos anos 90 eram 336 municípios nordestinos com menos de 1% de cristãos evangélicos. Em 2010, segundo a análise dos dados do IBGE, esse número era de 7%. O desafio do Sertão urbano quanto ao plantio de igrejas está, prioritariamente, nos 196 municípios com até 5% de evangélicos. Na zona rural estima-se que exista pelo menos 6 mil povoados sem igrejas.

De acordo com a Missão JUVEP o Nordeste conta com os piores índices sociais do Brasil, o que é ainda mais agravado no Sertão. Na área da educação detém a maior taxa de analfabetismo; quanto a saúde alcança os maiores índices de mortalidade infantil e ocupa os últimos lugares em disponibilidade de leitos e UTIs/SUS. O trabalho infantil é parte marcante da realidade sertaneja. O mercado de trabalho nessas regiões é extremamente limitado e a falta de geração de renda é um dos pontos críticos que impedem a melhoria da qualidade de vida e reversão de tais índices.

Participe dos impactos

Toda a igreja pode e deve se engajar com a causa missionária do Sertão participando de um dos impactos realizados pelos parceiros, nos meses de janeiro e julho. Organize caravanas e apoie projetos de plantio de igrejas e desenvolvimento social. Faça parte desta aliança! Entre em contato conosco e mobilize sua igreja para os próximos impactos realizados pelos parceiros, AMES (Agência Missionária para Evangelização do Sertão), Missão JUVEP, Impacto Sertão Livre, Projeto Anagé (Igreja Batista Central de Belo Horizonte-MG).

 

 

(27) 99817 – 6955 I (31) 3234-6714 I contato@povoselinguas.com.br

Autor: Redação Povos e Línguas

Conteúdo missionário de referência sobre o que acontece no Brasil e no mundo.