O AMOR NUTRE

27 de novembro de 2017     0

 

Equipe que atuou em Nawalparasi, Nepal, em outubro de 2017.

Sempre acreditei, e acredito nas pessoas. Para mim, é quando se estabelece uma ligação entre a vontade e generosidade de um conjunto de seres humanos movidos pelo amor divino, que ciclos viciosos se quebram e iniciativas maravilhosas tomam forma.

Nas próximas linhas vou falar de pessoas e de como elas podem influenciar positivamente a vida umas das outras e ser o mais poderoso instrumento de mudança social. Refletir sobre o quanto cada um, na sua singularidade, com o pouco que tem, pode fazer uma diferença gigante.

A Casa Nutrir, projeto no qual tive o privilégio de trabalhar como nutricionista no Nepal, é um fruto da união de um conjunto de profissionais do setor da saúde que oferecem, voluntariamente por alguns dias, os seus conhecimentos para formar pessoas que se tornarão agentes de saúde locais para tratar de gestantes e crianças desnutridas. O alvo é o desenvolvimento, implementação e monitoramento de centros de recuperação e educação nutricional.

Esta iniciativa de caráter social e solidário me permite ver que tudo aquilo que recebemos, quando é partilhado e dividido, se multiplica. E é esse privilégio que vejo acontecer com o trabalho desenvolvido pelos colaboradores da Casa Nutrir, que todos os dias, incansavelmente lutam para erradicar a desnutrição infantil, em lugares que sem eles, dificilmente o governo local conseguiria.

A desnutrição infantil é o distúrbio nutricional de maior prevalência nos países em desenvolvimento. Estima-se que mais de 50% das mortes de menores de 5 anos de idade nesses países se relacione direta ou indiretamente com a desnutrição. Os efeitos deletérios da desnutrição a nível cerebral podem ser irreversíveis se não tratados até os dois anos de idade. Tais danos podem causar um déficit cognitivo comprometedor que tem um impacto direto na produtividade do indivíduo e consequentemente do país.

Atuar em um projeto voluntário de base cristã foi uma experiência que me permitiu ir além, tanto como pessoa, quanto como profissional. Foram apenas alguns dias dedicados a ajudar o próximo na sua integralidade: corpo, alma e espírito. Assim, compreendi o real sentido de ajudar alguém a ser uma pessoa mais bem nutrida, seja ela subnutrida ou obesa. Uma pessoa com distúrbios nutricionais acaba limitada em seu potencial produtivo. Assim, recuperar alguém nutricionalmente passou a significar para mim um ato de contornar as circunstâncias difíceis e devolver a saúde a quem nunca deveria ter sido retirada e que é de qualquer ser humano por direito, seja na escassez, seja no excesso.

É evidente que, em se tratando da desnutrição causada pela fome, estas crianças nepalesas ainda têm muitos obstáculos pela frente, mas um deles foi ultrapassado, o efeito deletério da desnutrição. E aquele bebê que foi recuperado, estará muito mais dotado e capacitado para aprender (a ler, escrever, raciocinar), podendo tornar-se um adulto também muito mais capaz e preparado. Passa a ter as ferramentas necessárias para um dia poder conseguir um bom emprego, tornar-se um profissional competente, ou até mesmo um médico que salva crianças desnutridas.

Ajudar a resolver esta situação, é ajudar a dar um futuro a alguém. A experiência do voluntariado nos faz expandir horizontes, seja em um lugar distante como o Nepal, seja em uma comunidade desfavorecida perto de onde vivemos. Iniciativas solidárias não são para um grupo seleto de profissionais e sim para todos aqueles que desejam ampliar a sua visão e se engajar. Como bem disse Francisco de Assis: “Comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível, e de repente você estará fazendo o impossível.”

Como cristãos temos a responsabilidade de influenciar as pessoas através do amor de Deus. Tudo o que temos é uma dádiva que deve ser repartida, pois de outro modo, não faz sentido. O amor é o bem mais precioso que temos, pois sem amor tudo é feito em vão. Se mudar o mundo é quase impossível, tornar o mundo de alguém melhor, é muito simples. Qual é a sua missão? Como trazer essa missão para dentro da sua realidade atual? Aí se encontra a verdadeira plenitude, pois em Cristo podemos ter uma vida com propósito.

CASA NUTRIR

É um programa modular de combate à desnutrição infantil. Sabe-se que as causas da desnutrição infantil não raramente expõem adversas vulnerabilidades biopsicossociais que caracterizam esse contexto. A desnutrição, como problema de saúde pública, é uma doença da pobreza, um marcador social. Para fazer frente em tempo oportuno às consequências da desnutrição infantil, as quais incluem lesões cerebrais irreversíveis que limitarão a capacidade física e mental dessas crianças, a Casa Nutrir adiciona à assistência à saúde as ações educativas, a produção local de alimentos nutricionalmente ricos e o fornecimento de suplementos alimentares para as crianças com desnutrição severa. Agentes comunitários de saúde vivenciam o cotidiano das famílias inseridas; tudo isso norteado pelos fundamentais valores daquele que verdadeiramente nos alimenta para seguirmos em frente: Jesus.

Autor: Patricia Nacif

Nutricionista voluntária no Programa Casa Nutrir. Atualmente mora com sua família em Cascais, Portugal e serve na Comunidade Cristã de Lisboa.