Valioso demais para que se perca

19 de junho de 2017     0

A espinha dorsal do livro Valioso demais para que se perca, organizado por William D. Taylor tem como elemento principal as pesquisas realizadas por missiólogos a respeito da questão do retorno prematuro dos missionários. O projeto é denominado ReMAP (Projeto de Redução do Retorno Prematuro dos Missionários). Os escritos foram resultado do encontro realizado na Grã-Bretanha no seminário All Nations Christian College, em 1996. Naquela ocasião reuniram-se aproximadamente 115 pessoas de 35 países em torno dos resultados de pesquisas sobre as causas do retorno prematuros dos missionários, realizadas no período de 1994 a 1996. Além de Taylor (editor), a obra contém contribuições de Jonathan Lewis, Rudy Gíron, Peter Brierley e muitos outros autores experimentados no campo e na missiologia.

Inicialmente, Taylor introduz o tema sobre o retorno prematuro dos missionários e explica as possíveis causas e áreas que o envolvem. Em sua contribuição, Gíron fez um apanhado da importância da formação, acompanhamento, apoio e pastoreio dos candidatos a missão. Em seu modelo, ele defende a importância de se investir intencionalmente na seleção, treinamento, envio e pastoreio dos vocacionados ou candidatos ao campo. Kath Donovan e Ruth Mayors refletem sobre os desafios geracionais e quanto isso afeta a permanência no campo. Eles abordam características das diversas gerações entre os boosters (1927-1945), boomers (1946-1964), e busters (1965-1983). Além de tratar de questões envolvendo conflitos relacionais, eles sugerem possíveis caminhos para a convivência fraterna e ministerial apesar das distâncias entre as gerações.

Em seguida, Jonathan Lewis nos faz conhecer a realidade da pesquisa ReMAP através das estatísticas e contribuições de organizações missionárias, igrejas e obreiros em campos transculturais. Ele apresenta os tipos e as causas do retorno missionário no mundo. Ted Limpic da SEPAL (Servindo Pastores e Líderes) apresentou um perfil da realidade do retorno prematuro dos obreiros brasileiros. Dentre as principais causas desse retorno, destacam-se a falta de compromisso, problemas com colegas, caráter, preparo inadequado, auto-estima, estresse, casamento e outras questões pessoais. Apesar das estatísticas já estarem desatualizadas; o mais importante nestes capítulos são as realidades enfrentadas pelos nossos missionários no campo.  

Na quarta parte do livro, o leitor conta com diversos capítulos temáticos com contribuições de vários autores para maior aprofundamento de temas como o envio de vocacionados, como estabelecer parcerias de envio ao campo, formatos de treinamentos de vocacionados (formal e não formal). Seleção de obreiros pelas agências missionárias, pastoreio e cuidado de filhos de missionários. Todos os artigos foram escritos sob a perspectiva da questão do acompanhamento e supervisão a fim de buscar soluções para diminuir o retorno prematuro de missionários. São oferecidos endereços e contatos de recursos mundiais disponíveis. Na parte cinco, Taylor conclui com ótimas sugestões e propostas para que a obra continue através de novas pesquisas e aprofundamento dos temas elucidados.

Essa obra clássica é referência na missiologia. Sua contribuição para o CIM (Cuidado Integral do Missionário) é inestimável. Trata-se de uma pesquisa realista e com valor atemporal por tocar em temas sempre pertinentes a realidade missionária em todo o mundo. É uma leitura específica que requer dedicação e reflexão. Embora a edição seja agradável, há um forte viés metodológico. Creio ser ferramenta de extrema utilidade para pastores, líderes, organizações missionárias e Conselhos. Assim como para vocacionados, seminaristas e aqueles que já servem em campos missionários.

Autor: Amed Baldé

Missionário solteiro da Oitava Igreja Presbiteriana de Belo Horizonte (MG), em parceria com uma agência missionária internacional. Serviu em diversos ministérios na África subsaariana nos países Burquina Fasso e Senegal por dez anos. É bacharel em teologia com especialização em missiologia pelo MTC – Latino Americano em Montes Claros, e o Centro Universitário Izabela Hendrix em Belo Horizonte. Mestre em Missiologia pelo Centro Evangélico de Missões em Viçosa. Técnico em enfermagem pela ENFERMIG (BH), e formação pela ALEM – Aliança Linguística Evangélica Missionária em Brasília (Curso CLM – Curso de Linguística e Missiologia). Atualmente em preparo para servir a longo prazo em um novo campo no norte da África.