O Primeiro CD Evangélico no Timor Leste

24 de maio de 2017     0

Uma iniciativa transcultural na adoração

A influência musical internacional nos mais variados estilos tem sido um tremendo formador de opinião nas culturas nacionais ao redor do mundo. Como nação brasileira também continuamos sendo influenciados, mesmo tendo músicos evangélicos mais maduros espiritual e musicalmente.

Como missionária e líder de louvor sempre busquei balancear a presença e influência desenfreadas da música internacional na esfera nacional. Esse cuidado se concretizou na oportunidade que meu esposo e eu tivemos de morar e servir a Igreja do Senhor no Timor Leste.

REALIDADE MUSICAL TIMORENSE
O Timor Leste está localizado no sudeste asiático e é uma ilha inserida no maior arquipélago do mundo, a Indonésia. Foi uma colônia portuguesa até 1974 e esteve sob o domínio militar indonésio até 2000.

A música timorense tem forte influência portuguesa e indonésia, bem como das diversas etnias que representam aquele povo. A nossa chegada logo no ano de independência, em 2002, nos permitiu testemunhar o impacto da música internacional na realidade da igreja nacional, que esteve por tantos anos fechada para a influência externa.

O desejo de resgatar o português (proibido durante o domínio indonésio) incentivou o uso de louvores nessa língua e, consequentemente, a tradução para o tetum (também língua oficial timorense). O estilo musical indonésio permaneceu no coração da identidade musical dos timorenses, especialmente os jovens.

A globalização também trouxe forte impacto na juventude timorense, e não demorou muito para que a influência de louvores na língua inglesa também alcançasse não somente os celulares, mas o coração dos jovens.

Foi nesse contexto que, junto com alguns missionários, iniciamos uma jornada musical com ferramentas transculturais para auxiliar a igreja timorense a desenvolver sua identidade cultural na adoração ao Deus Eterno. Após alguns anos de investimento em vidas pudemos ver o resultado na realização, em novembro de 2011, do primeiro CD de adoração em tetum na história do país.

FERRAMENTAS TRANSCULTURAIS PARA ADORAÇÃO
O CD intitulado Mai Adora Jesus foi um verdadeiro milagre! Primeiramente pelo fato de o Timor até aquele momento sofrer com as limitações de uma nação pós-guerra, além de ser o país mais pobre do sudeste asiático. Outro desafio foi a nossa inexperiência de como liderar um grupo que nunca havia gravado antes e nem mesmo tocado juntos.

Fomos realmente surpreendidos por algumas músicas de autoria dos jovens e outras de missionários que foram disponibilizadas para serem compiladas; os arranjos foram na maioria desenvolvidos pelos timorenses; e a gravação em estúdio e a prensagem também foram realizadas em solo timorense! Ao refletir sobre essa jornada, pude identificar alguns princípios que contribuíram na realização desse projeto de contextualização musical.

Sensibilidade Cultural
Sou tremendamente grata ao Senhor por eu ter investido tempo para aprender as línguas tetum e bahasa indonésia, pois, além de me ajudar na comunicação com a geração jovem timorense, pude entender o contexto musical dessas duas frentes na juventude cristã timorense. Consegui entender a linguagem musical dos jovens e auxiliá-los a processar sua busca por “uma adoração que expressasse os seus corações”.

Sofremos algumas pressões de líderes timorenses mais conservadores devido ao  estilo escolhido. A maioria dos jovens desejava louvores que fossem uma expressão do Timor naquele tempo, com instrumentos mais modernos. Por isso, nosso papel também foi de facilitadores no diálogo entre as diferentes gerações. O tempo investido com a liderança pastoral ajudou na bênção e liberação dos jovens de diversas igrejas para se unirem na participação do projeto (outro milagre e presente do Senhor). Sofremos também certa pressão por parte de alguns missionários que defendiam um estilo mais tradicional, com instrumentos musicais mais tribais. Com muito diálogo e oração, aprendemos juntos a entender o que Deus estava realizando ali. Foi um tempo de muito aprendizado para todos, tanto para os nacionais como para os missionários.

“Diferentes povos desejam louvar a Deus em sua língua do coração, e você pode ser parte desse processo no papel de músico missionário de longo ou de curto prazo” – Arquivo Pessoal

Centralização na Palavra
Uma vez conectada com os músicos, pude entender melhor suas limitações, bem como seus potenciais. Através do discipulado de alguns músicos, formamos um grupo de influência que abraçou o projeto da gravação com tremenda dedicação. Em alguns momentos precisei basicamente neutralizar-me musicalmente para me encaixar na realidade e para que eles pudessem romper diante de seus desafios.

Também houve momentos de orientação e encorajamento diante dos desafios e até espaço para uns puxõezinhos de orelha… tudo com muito amor e paciência. Focalizamos em duas áreas de treinamento: bíblica e musical. Desde 2003, organizamos conferências de louvor e adoração com a presença de jovens de diversas denominações, nas quais havia palestras sobre variados temas bíblicos ligados à adoração e ao papel do adorador e workshops de instrumentos musicais e canto.

Tivemos duas visitas do músico e compositor Beto Tavares que foram fundamentais para incentivar novos compositores cristãos timorenses. Em 2007, ele trouxe a equipe internacional da Vila do Louvor, que nos ajudou nos worskshops para os diversos instrumentos. Beto ensinou ferramentas práticas sobre como escrever poemas e louvores ao Senhor.

Mesmo que toda essa preparação não tenha sido intencional para a gravação de um CD, o Senhor já havia planejado todas as coisas de forma perfeita e tudo cooperou para a realização de um álbum com padrão de excelência para a realidade timorense.

Tanto os timorenses que participaram do projeto quanto os ouvintes não esperavam que o projeto fosse ganhar proporções tão relevantes entre o povo. Valeu todo o esforço e sacrifício ao longo do caminho.

Seja você também surpreendido por Deus ao permitir que ele multiplique aquilo que confiou em suas mãos. Utilize ferramentas missiológicas para colocar seus dons musicais em ação na frente de batalha em outros contextos transculturais.

Diferentes povos desejam louvar a Deus em sua língua do coração, e você pode ser parte desse processo no papel de músico missionário de longo ou de curto prazo. Seja ousado e viva a adoração ao Eterno em uma nova dimensão.

 

 

Autor: Cláudia Montenegro Vieira

Missionária, líder de louvor e arquiteta. Trabalhou no Timor Leste, sudeste asiático, por dez anos. É formada em Escola de Adoração pelo CFNI, Dallas (USA)