Mais que uma canção

18 de agosto de 2017     0

No que diz respeito à missão e à adoração, inúmeras situações, argumentos e pensamentos compõem um cenário com traços que afirmam: não há Evangelho sem missão. Essa mensagem é maior do que uma canção e precisa ser exposta a todas as gerações.

Um dia antes da minha mudança para o Ceará, uma querida amiga e irmã em Cristo me perguntou: “Você vai a passeio ou em missão?”. Essa pergunta ecoou dentro de mim, retumbando como uma alfaia percussiva, tocando repetidas vezes dentro de uma caverna. A questão me fez trazer à memória os textos em que Jesus nos convida a seguir Seus passos e a amar. Foi como um flashback belo e colorido de breves momentos ao lado do povo africano, haitiano e alemão até culminar no contraste do chão batido ao lado do mandacaru à beira da estrada, na terra seca e vermelha, apontando para uma imensa placa com os dizeres: adore, ame e vá.


Não há Evangelho sem missão. Essa mensagem é maior do que uma canção e precisa ser exposta a todas as gerações.


A caminhada cristã é, entre outras coisas, uma convocação para nos firmarmos na simplicidade. É uma jornada que nos impulsiona para a busca e a compreensão do que realmente significou a atitude de pessoas que tocaram na orla das vestes de Jesus e foram curadas (Lc 8:44); de quem, subindo em uma árvore, pôde muito mais do que ver (Lc 19:9) ou de quem morreu e, sendo chamado pelo nome, voltou à vida (Jo 11:43), dentre tantos outros infindáveis exemplos de quem nunca mais foi o mesmo depois de se encontrar com o Mestre. Toda a Bíblia nos aponta Cristo, o motivo da adoração, da canção, o exemplo, a genuína motivação do “ser” para “fazer”.

No chão do quarto ou sobre uma moto deslizando em terras secas; transitando em áreas urbanas de uma capital ou visitando famílias, fica cada vez mais clara a compreensão de que essencialmente a missão e a adoração genuína são promovidas na cruz e pela cruz. Não existe verdadeira adoração sem revelação do Cristo.


A missão e a adoração genuína são promovidas na cruz e pela cruz


Todo cristão está em missão, pois “assim como o Pai me enviou, também eu vos envio.” (Jo 20:21). Chegando ou partindo, sempre estaremos em missão para amar, servir e ser como Jesus. Somos alcançados pela graça e chamados a viver e a experimentar o verdadeiro amor que “(…) tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.” (I Co 13:7).

A adoração como expressão musical e reflexo da obediência expressa é muito mais do que qualquer molde humano, pois a adoração é um estilo de vida em missão, fruto de quem compreendeu a obra sacrificial de Jesus.

Portanto, nosso relacionamento com Deus por meio de Cristo nos leva a agir com entendimento, pois quem compreende a revelação do Cristo, adora, ama e se torna como Ele, sendo sal e luz, agente de transformação em todo tempo e por onde quer que vá.

Autor: Júlia Ribas

Atualmente mora com sua família em Fortaleza, CE. É professora de canto numa escola de música, e sensibilizadora artística com crianças. Junto com seu esposo desenvolve trabalhos em conjunto com o projeto MAIS SERTÃO, dão apoio em casas de recuperação na capital cearense, e suporte na comunidade Ele Clama em Minas Gerais.